Transformação Ágil – tendência ou veio pra ficar?

agosto 26, 2021 | Entrevista, TRansformação Ágil

Queremos responder a essa pergunta e mostrar por que às vezes é importante assumir novas perspectivas e aplicar outras formas de ver as coisas. Se você já está familiarizado com Scrum, você definitivamente deve continuar esta leitura…

Por que a agilidade é tão importante no mundo corporativo

Os tempos estão mudando rapidamente. Não só a nossa sociedade está mudando, mas também o comportamento de compra e consumo dos nossos clientes. As pessoas têm inúmeras oportunidades de obter o produto perfeito no momento certo. Os desafios de uma empresa (ágil) são reconhecer essas necessidades, adaptar-se a elas e entregar sempre o melhor resultado aos clientes.

Um desafio particular aqui é ser capaz de responder às diferentes necessidades dos clientes com um portfólio de produtos claro. Temas como digitalização, globalização, capacidade de entrega 24 horas por dia, 7 dias por semana ou capacidade de resposta, entre outros, devem ser considerados neste sentido. Em um momento em que a economia digital ganha cada vez mais força, as empresas devem se alinhar competitivamente com seus processos de criação de valor.

Claro que nem todas as empresas precisam se tornar ágeis. Para algumas, reorganizar e desenvolver novos processos é o suficiente. Grandes empresas automotivas, seus fornecedores e empresas de software são ótimos exemplos disso.

Para qual problema o Ágil é realmente a resposta?

Os clientes, em última análise, não se importam com quais estruturas e processos estão em vigor em uma determinada empresa. Eles querem apenas o produto certo na hora certa. É aí que começa o verdadeiro desafio para as empresas: elas precisam identificar seus próprios processos a fim de utilizar uma organização e métodos ágeis para mudar o núcleo da criação de valor, de forma que seus clientes se beneficiem disso. A agilidade não é, portanto, um fim, mas um posicionamento interno consistente para atingir os objetivos desejados.

Como tornar a sua empresa ágil

Não existe um roteiro para esta jornada, porque ela é tão única quanto a própria empresa. No entanto, a Staufen identificou algumas etapas básicas que se mostraram úteis e, em última análise, levarão a uma forma organizacional adequada para qualquer tipo de empresa, em diversos setores. É importante percorrer o caminho tendo o cliente como parceiro, buscando e desenvolvendo soluções em conjunto. Essas etapas podem ser:

  • Etapa 1: Análise real e status quo:
    Analise a situação competitiva, dos processos corporativos, estruturas internas e da cultura corporativa através de uma avaliação de capacidades.
  • Etapa 2: Crie uma nítida imagem-alvo
    Onde a empresa quer chegar a longo prazo? Devem os processos (primeiro) serem adaptados para que se tornem mais eficientes (Lean), adaptáveis ​​e responsivos no futuro, ou o foco é reorganizar completamente a empresa?
  • Etapa 3: Escolha os métodos mais adequados
    Avalie a melhor forma de determinar o que a empresa realmente precisa. Por exemplo, implementar uma gestão ágil de chão de fábrica ou ganhar experiência inicial com Scrum.
  • Etapa 4: Avalie os resultados
    A avaliação dos resultados mostra áreas nas quais a empresa já obteve sucesso. Esse sucesso pode ser visualizado e medido usando KPIs e serve como base para decidir quais etapas realizar a seguir.
  • Etapa 5: Altere o projeto organizacional
    Foque na mudança necessária e otimize os processo internos da empresa. Os resultados são então avaliados para que os próximos passos da transformação ágil sejam definidos em conjunto com os colaboradores. Não só os aspectos profissionais da equipe desempenham um papel aqui, mas também a interação interpessoal, a cultura corporativa e o estilo de gestão dos executivos são de grande importância e não devem ser desconsiderados.

Vantagens de uma empresa ágil

Entregas mais rápidas por meio de fluxos de trabalho otimizados

Processos otimizados garantem um fluxo de trabalho mais rápido. O sistema “First Time Right” (do inglês, fazer certo na primeira tentativa) diminui consistentemente as chances de erro. Esses processos são avaliados sistematicamente e constantemente adaptados às necessidades da empresa. Depois que um sistema ágil é implementado em uma empresa, fica rapidamente claro se o sistema funciona e cada funcionário sabe a todo momento quando as tarefas devem ser concluídas.

Funcionários satisfeitos e auto-organizados

Funcionários satisfeitos são a base de uma estrutura organizacional ágil sólida. Eles ajudam a garantir que a empresa possa se manter no mercado a longo prazo. A transparência das tarefas é particularmente importante para a satisfação da equipe. Quando todos entendem suas próprias tarefas e estão cientes das tarefas de seus colegas, é lançada a base para uma interação respeitosa e positiva uns com os outros. Essa transformação exige tempo e implementação específica. Particularmente com as hierarquias existentes, é preciso lembrar que isso envolve uma reestruturação completa, bem como o estabelecimento de novos e diferentes processos.

Uma empresa ágil se beneficia claramente de menores prazos de entrega, fluxos de trabalho otimizados, melhor retenção de clientes, clientes mais satisfeitos e funcionários autogeridos.

Os desafios de uma empresa ágil

A liderança deve estar ciente de que as mudanças propostas pela transformação ágil sempre se refletirão nos indicadores de desempenho da empresa. Pode ser útil definir claramente quais interfaces, responsabilidades, pessoas de contato ou os fatores que serão alterados e quais permanecerão. Essas mudanças fornecem segurança estrutural, segurança de desempenho, novas responsabilidades e desenvolvimento de produtos. Os padrões de qualidade são aprimorados e as verificações técnicas são adaptadas. Por isso, é particularmente importante que os objetivos estejam claramente definidos desde o início e as mudanças associadas sejam apoiadas pela gestão e comunicadas a toda a equipe.

Se as vantagens de uma organização ágil forem comunicadas de forma clara e compreensível aos funcionários e eles estiverem envolvidos no desenvolvimento do novo modelo de colaboração, isso levará à formação de novas equipes que se apoiam mutuamente, uma forma de cooperação síncrona em que todos os funcionários podem aprender uns com os outros e, portanto, podem melhorar suas habilidades pessoais – tudo isso enquanto trabalham dentro dos projetos dos clientes. O objetivo é que a liderança tenha que dar o mínimo de instruções para apoiar os processos de desenvolvimento e auto-organização de suas equipes.

Uma vez que as equipes entendam qual é o objetivo, como podem otimizar seus próprios fluxos de trabalho e, assim, colaborar umas com as outras, nada impede o sucesso de uma organização ágil. Os próprios funcionários perceberão rapidamente como seu trabalho se torna mais agradável, rápido e eficaz. No longo prazo, isso faz com que as pessoas se tornem mais independentes, assumindo mais responsabilidades e realizando todo o seu potencial. Este processo é acompanhado de perto e apoiado pela Staufen.

Depois que uma organização ágil foi estabelecida com sucesso, é importante estabilizá-la e mantê-la a longo prazo. Isso acontece se a alta gestão mantiver continuamente uma visão top-down, avaliando continuamente se a transformação ágil está caminhando na direção certa.

Conclusão

O caminho para a transformação ágil é desafiador. É preciso tempo e comprometimento de gestores e funcionários. No entanto, os benefícios são tão grandes que os desafios desaparecem. Porque, ao final do dia, as empresas não apenas conquistam clientes e funcionários mais satisfeitos, mas também otimizam fluxos de trabalho, conquistando estruturas organizacionais internas de apoio mútuo e KPIs significativamente aprimorados.

Host

Dr. Thilo Greshake, Partner na STAUFEN.AG

Com doutorado em engenharia mecânica e mais de 15 anos de experiência em consultoria internacional em desenvolvimento Lean, excelência em engenharia e gestão de qualidade, Dr. Thilo Greshake é responsável pela divisão automotiva da Staufen AG desde 2017.

Convidado

Jörg Faulstich, Project Manager na STAUFEN.AG

Os primeiros trabalhos de Jörg Faulstich incluíram supervisão de processos de mudança, apoio a especialistas e executivos e estabelecimento de academias e centros de treinamento. Na SMA, ele projetou e implementou com sucesso programas de liderança global para todos os níveis de gestão e reestruturou o centro de treinamento em um centro de lucro. Além disso, ele projetou o processo de desenvolvimento da estratégia da empresa e foi responsável pela implementação do programa de gestão de mudanças em toda a empresa, que ele desenvolveu em áreas individuais no processo de reestruturação. Enquanto estava na Schüco, ele foi responsável pelo desenvolvimento do portfólio global de treinamento. Além disso, ele liderou a implementação de métodos ágeis no desenvolvimento de produtos. Mais recentemente, Jörg Faulstich apoiou PMEs e bancos na introdução de estruturas e métodos organizacionais ágeis.

MANTENHA-SE ATUALIZADO

Subscribe to our newsletter