Digitalização sustentável

Digitalização, Sustainability

Como um dos principais fornecedores de tecnologia de automação, a ifm vem definindo o padrão em termos de digitalização há anos. Com uma fábrica ambientalmente sustentável e altamente moderna em Sibiu, na Romênia, esta especialista em tecnologia de sensores agora também se colocou na posição de destaque em relação à sustentabilidade.

Se você construir uma fábrica em um terreno vazio, poderá fazer muitas coisas corretamente desde o início. Um exemplo disso é o grupo ifm, que fornece principalmente sensores para aplicações industriais. Além do escritório central em Essen, na Alemanha, e do desenvolvimento e da produção em Tettnang, no Lago Constança, o grupo tem várias unidades no exterior. Uma delas é Sibiu, na Romênia, onde são fabricados sensores de posição e pressão. Quando se tornou óbvio, há alguns anos, que a capacidade de produção de Sibiu logo atingiria seus limites, a ifm decidiu construir uma nova fábrica nas proximidades. E não se tratava de uma fábrica qualquer, mas de uma verdadeira fábrica ambientalmente sustentável.

“A gestão da empresa quer deixar um rastro sustentável para as próximas gerações e estava preparada para arcar com as despesas adicionais em comparação com uma fábrica convencional, que chegavam a cerca de 3 milhões de euros para uma fábrica neutra em termos de CO2”, diz Bernd Hausler, diretor administrativo da ifm. A atratividade do local é um dos motivos para investir esse dinheiro na Romênia. “Até agora, nunca tivemos problemas para atrair um número suficiente de profissionais qualificados para a fábrica em Sibiu. A taxa de doenças é baixa, assim como os custos salariais em comparação com outros países europeus”, diz Alex Magdoiu, diretor executivo da ifm na Romênia. “Além disso, muitas empresas estão se mudando atualmente para a Europa Oriental e, especialmente, para a Romênia.”

CENTRO DE LOGÍSTICA NO ‘CORAÇÃO DO TREVO’

Houve um planejamento intenso antes de as escavadeiras iniciarem a construção no terreno de 13.000 m² em março de 2022. Era importante para as partes responsáveis que a nova fábrica tivesse um projeto flexível, de modo que o mais amplo espectro possível de produtos da ifm pudesse ser fabricado lá no futuro. Isso foi realizado por meio do chamado princípio do trevo, no qual um centro de logística está localizado no centro do local da fábrica, a partir do qual todas as alas de produção localizadas ao redor podem ser abastecidas diretamente.

O Conselho Alemão de Construção Sustentável (DGNB) estava a bordo desde o início. Entre outras coisas, eles garantiram que o mínimo possível de resíduos fosse produzido no local da construção, que o lençol freático não fosse contaminado e que materiais de baixa emissão, como o concreto verde, fossem usados. Isso porque o objetivo da ifm era a certificação de acordo com o sistema internacional DGNB. O plano foi bem-sucedido: como uma fábrica verde e neutra em termos de CO2, a Sibiu foi premiada com uma medalha de ouro pela DGNB quando foi inaugurada em maio deste ano.

Apresentação de todo o consumo até a linha de produção em números

A fonte de alimentação desempenha um papel importante na criação de uma fábrica ecológica. “Como fabricante de produtos eletrônicos, precisamos controlar meticulosamente a temperatura e a umidade”, explica Gerhard Deierling, gerente de produção da ifm na Alemanha e diretor executivo da ifm na Romênia. O resfriamento, em particular, requer muita energia. Por esse motivo, a temperatura básica da área de produção é controlada por meio de uma base ativa na nova fábrica. O aquecimento ou resfriamento necessário é, portanto, realizado de forma eficiente por meio de um sistema de ventilação adequado.

Um sistema fotovoltaico no telhado, bombas de calor e um moderno sistema a gás, que pode ser atualizado com novas tecnologias, completam o conceito de energia. Devido ao aumento acentuado dos custos de energia, os investimentos adicionais se pagarão rapidamente, “Depois de criarmos a base para a produção ecológica, planejamos níveis de expansão adicionais no futuro”, acrescenta Gerhard Deierling. “Por exemplo, queremos medir o consumo de ar comprimido, o volume de resfriamento e a energia até a linha de produção e apresentá-los em números. Assim, poderemos trabalhar constantemente na otimização e dar a cada produto um selo informando a quantidade de energia utilizada na sua fabricação.”

IFM Produktion

OPERAÇÃO COM NEUTRALIDADE CLIMÁTICA ATÉ 2030

A ifm está usando sua ampla experiência digital para atingir suas metas de sustentabilidade, digitalizando a gestão e a produção de edifícios – e não apenas na Romênia, mas em todo o grupo. Alex Magdoiu está orgulhoso do que foi alcançado em Sibiu. “Se nós, aqui na Romênia, lucramos muito com a experiência dos nossos colegas alemães, agora podemos fornecer uma grande quantidade de conhecimento sobre o tema da sustentabilidade do nosso lado.” Seu colega Bernd Hausler enfatiza: “Os clientes esperam que forneçamos um roteiro para a descarbonização na fabricação. Portanto, nossa meta é ter uma operação neutra em carbono até 2030.”

Além dos clientes da ifm, outras empresas também poderão ver o que há de mais moderno atualmente em fábricas ecológicas. Porque, como um Best Practice partner da Staufen, a ifm em breve abrirá as portas de sua fábrica em Sibiu para as partes interessadas. “Quando se trata da tríade Lean, digital e verde, há poucas empresas que fizeram tanto progresso quanto a ifm. E independentemente de apoiarmos a ifm com a Gestáo Lean na Romênia ou dentro do escopo do projeto de digitalização em Tettnang, aprendemos algo a cada vez”, diz o consultor da Staufen, Werner Laub, que ajudou no desenvolvimento da ifm por muitos anos: “O intercâmbio constante e o estabelecimento de uma boa rede são muito importantes para garantir a própria competitividade.”


pessoas envolvidas


Dr. Alex Magdoiu

Managing Director

ifm efector s.r.l. ifm prover s.r.l.

Gerhard Deierling

Managing Director

ifm prover s.r.l.

a empresa

O grupo ifm desenvolve, produz e vende sensores, sistemas de controle e software e sistemas para automação industrial. Seus produtos e serviços são comercializados em 165 países. Essen é a sede principal do grupo de propriedade familiar. O principal local para o desenvolvimento da produção é Tettnang. A empresa tem outras unidades de produção no exterior e, mais recentemente, teve um faturamento de mais de 1,4 bilhão de euros, com cerca de 8750 funcionários.

1,4

bilhóes € em faturamento

8.750

colaboradores

165

Países para os quais a distribuição é feita

baixe gratuitamente a versão online da revista

leia mais sobre este tema

Magazine
agosto 14, 2023

América Latina a caminho da transição energética 

América Latina a caminho da transição energética! O novo modelo de gestão é parte da estratégia para consolidar a Siemens Energy como um one-stop shop que fornece serviços que vão desde a geração e transmissão até um amplo portfólio de produtos para descarbonizar o setor.

Ler mais

MANTENHA-SE ATUALIZADO

Subscribe to our newsletter
Staufen Back To Top Button